Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Reserve seu hotel online

 

 

  • Total de visitas: 2422040
  • Unique Visitors: 281642
  • Registered Users: 3795
  • Last Registered User: strugglingfirkin
  • Published Nodes: 124
  • Your IP: 3.235.107.209
  • Since: 02/27/2014 - 13:02

Jalapão-Tocantins-BRASIL (por Karine Barbosa/SE)

Olá viajantes... vou trazer para vocês um relato de uma amiga louca por viagem que, assim como eu, AMA VIAJAR PELO BRASIL e divulgar nossas riquezas e paraísos. Dessa vez, o destino dela foi um lugar quase desconhecido, com pouca estrutura porém, surpreendente: JALAPÃO.

Seguem as dicas de Karina Barbosa, que chegou hoje desse destino incomum. Se você é aventureiro, gosta de natureza e paisagens incríveis, pode começar a programar a viagem ao Tocantins, no norte do nosso País.

 

Nossa viagem começou em Aracaju, onde após duas horas de espera para conexão em Guarulhos, e mais duas horas de voo, chegamos em Palmas/Tocantins.

Alugamos carro 4x4, que é o recomendado! Porém existem várias empresas especializadas no Jalapão que já pode pegar no aeroporto de Palmas e começar a aventura com mais tranquilidade.

Como chegamos na hora do almoço, seguimos até a Cabana do Lago, que oferece comida local (peixes de água doce) e vale muito a pena! Um tucunaré é muito bem-vindo para começar a trip, além da cerveja super gelada.

Somos uma família aventureira e seguimos para fazer compras - isopor, lona e corda. Infelizmente a locadora de carros não disponibiliza capa na caçamba da S10. Fica a dica @localiza! Deveria cobrar como opcional. Mas não posso deixar de elogiar a Localiza, empresa sempre top demais!!!! Somos clientes fiéis.
Pernoitamos em
Tacuaruçu. Na Serra, com temperaturas mais baixas que Palmas, esse distrito de Palmas é considerada a área de Inverno do Tocantins. Vale sim passar lá!

A pousada Aldeia da Serra é um chame a parte! Aprovadissima!!! Programa relaxante para casais, família ou amigos. Ainda dou a dica de ficar uma noite antes de voltar para casa super descansados, depois da aventura no Jalapão.

http://loucasporviagem.com.br/sites/default/files/jalapao_pousada.jpg

 

Primeiro Destino no Jalapão:Muro Alto.

Estrada razoável... no primeiro buraco os dois isopores quebraram kkkkkk risadas a parte, passamos em um armazém, compramos fita adesiva e forramos ele todo (deveríamos ter feito isso antes). Deu para salvar, pura sorte! Comprar outro seria prejuízo,  estavam cheios e pesados por isso ficaram mais vulneráveis.
Apesar de ter programado a viagem em agosto, não encontramos
vaga em pousadas na cidade Ponte Alta, então ficamos na casa da Professora Graça e Seu  Didacio (alugamos o quarto pelo Airbnb). Muito legal! Eles recebem super bem, quarto limpinho, uns queridos!!!!! Café da manhã de Dona Graça caseirinho, delicia!

http://loucasporviagem.com.br/sites/default/files/casa_de_familia_2.jpg

 
Depois de desarrumar as tralhas, fomos na Lagoa do Japonês. Banho maravilhoso e sugiro almoçar lá mesmo! Comidinha caseira delicia!!! O uso de sapatilha é quase obrigação (as pedras são cortantes). Pode alugar por lá.
Na volta tínhamos que passar na Pedra Furada que
é linda! Porém saímos tarde da Lagoa do Japonês e não deu tempo! Vacilamos mesmo! Esses são os imprevistos de andar sem guia, mas o dia foi fantástico! Valeu!
Resumo de Muro Alto: a cidade ainda não tem estrutura, um centrinho mini. Para a noite achamos uma pizzaria bem escondidinha, pizza delicia
(levamos nosso vinho).Dica de pousada: Águas do Jalapão, a mais famosinha daqui!
No final das contas, agradeci por não ter achado vaga! Achei ótima a experiência em família de hospedagem familiar!!!

Segundo Destino no Jalapão: Mateiros.

Depois de 80km de estrada de terra e pedra, bem assim, paramos da cachoeira da Velha! E o coração acelera de emoção! Coisa mais Linda! Imperdível! Cachoeira de Contemplação.

Em seguida, uma parada na Prainha do Rio Novo. Prepare as cangas, lanchinhos, cerveja, água e suco para um banho deli e um pic nic. Digamos que é uma praia de água doce sim! Relax total.

A terceira parada foi nas Dunas do Jalapão. Terceira entre aspas, porque era tanto Visu lindo que paramos pelo menos umas 5 vezes! INDESCRITÍVEL a “mesa que a chapada forma”.Que Dunas!! Areia Laranja, uma pintura no meio da parede de pedra! Vale cada minuto lá em cima.

http://loucasporviagem.com.br/sites/default/files/dunas_jalapao.jpg

Em Mateiros nos hospedamos na Pousada Panela de Ferro. Como tudo por aqui, simples, mas tem tudo que precisamos. Tem outra famosa também chamada Santa Helena, são as duas melhorzinhas! Acho que a Santa Helena é melhor.

Mateiros tb não tem estrutura, jantamos um espetinho com PF na praça por pura sorte. Tudo estava cheio, típicos do feriadão mesmo. Na noite seguinte jantamos no self service da D Rosa. Digamos que da para passar a fome. Mas não adianta exigir, Mateiros não tem muito o que oferecer.

Outro dia, fomos a Cachoeira da Formiga (R$25,0 a entrada). Linda, linda, linda! Água cristalina!!!!! E fervedouros (fenômenos naturais bem sensíveis). Gente... nosso primeiro foi o Buritizinho! É para chocar mesmo!! Que águaaaaaa! Legal desse fervedouro que eles liberam fazer churrasco, tem um rio, então a espera é tranquila, principalmente para quem está com criança. Por aqui ainda não estão estipuladas as regras como em Bonito, mas não se deve pisar na borda do poço, evitar repelente e protetor solar no mergulho. Turista consciente prerserva!

http://loucasporviagem.com.br/sites/default/files/cachoeira_pequena.jpg

Só podem entrar no fervedouros grupos de até 10 pessoas e fica 15 minutos lá! Custa R$ 20, por cabeça! Passamos o resto do dia  por ter essa liberdade de “acampar” por aqui. E tem almoço tb! Restaurante caseirinho.  Fizemos churrasco, nesse dia.

No outro dia, depois de conhecer o Fervedouro Encontro das Águas (lindo), voltamos para almoçar no Buritizinho. Almocinho caseiro delicia! R$25, por cabeça! Valeu!Além de ser perto do Buriti, as crianças amaram e pediram para voltar porque tem um balanço da árvore que cruza o rio, tipo Tharzan...diversão garantida para os adultos também.

Terceira parada: São Félix.

No caminho, conhecemos o Fervedouro do Rio Sono e o Buritis. Impossível falar o mais lindo!!! Esses fervedouros são especiais mesmo! A areia é movediça, tipo desenho animado mesmo rsrsrs muito interessante e lindos demais.  Além de afundar neles, a água joga a pessoa para cima e faz boiar. Uma sensação bem difícil de explicar...Para entrar nos fervedouros custa entre R$ 20 e R$25, e fica 15 minutos. Uma pena!! Queria mais kkkkkk no Buritis ficamos 21 minutos porque não tinha ninguém na fila, ótimo!!!

http://loucasporviagem.com.br/sites/default/files/fervedouro.jpg

O Fervedouro do Ceiça é um dos mais famosos. Paramos porém a fila estava de 2h e desistimos! Mas quem puder, deve valer a visita.
Em São Félix ficamos na Pousada São Félix do Jalapão, ótimo! Super agradável!! Simples, porém bem organizada e ampla. São Félix é bem mais cuidada que Mateiros, e tudo é mais pertinho. Acordamos e fomos para o Fervedouro Boa Vista, fantástico!!!!!! 10 minutinhos do hotel.
Depois paramos na Prainha do Alecrim. Beira de Rio, bom demais para levantar nosso “acampamento” churrasqueiro.

À noite fomos ao fervedouro do Alecrim.  Vale a experiência desse paraíso a noite.... banho maravilhoso!!!!!! E se der sorte, como nós, de não ter ninguém eles nem regulam o tempo! Ficamos por mais de 1h!! Ainda fizeram a entrada por $10, povinho massa rsrsrs!!!!!

Em São Félix jantamos em 2 lugares, pizzaria da Mirella e Rota 22. A pizzaria é simples, massinha caseira, mas é gostosinha, Mata a vontade sim! Rota 22 é uma hamburgueria! Único lugar com “charme” que vimos por aqui! Musiquinha massa, hambúrguer gourmet, super valeu!

São Félix é muito mais cuidadinha que Mateiros. Por isso aprovei essa ordem nossa, pelo menos o melhor lugar ficou por último. Fora que os passeios aqui são perto, então melhor deixar para gastar energia no início mesmo.

Rola outros passeios que não fizemos: rafting, nascer e por do sol, enfim... também é o tipo de lugar que um dia a gente repete. Viagem incrível, mais uma vez comprovando que nosso Brasil é demais!

Dar para fazer o Jalapão sem
Guia? Minha opinião: tem que ter coragem. O lugar não é bem sinalizado, tem que saber dirigir muito bem em estrada de terra, andar prevenido em caso de atolamentos ou furar algum pneu e também, como nós, em dois carros. Não tivemos imprevistos, estávamos preparados. Mas dirigir mais de 100km por dia sem ver um telhado e sem sinal de celular... precisa estar muito seguro. Viemos assim porque nosso companheiro de viagem se organizou bastante com o roteiro.

Existem várias empresas que fazem os passeios, só acho que se puder fazer exclusivo é bem mais tranquilo.  A empresa que sugiro é a Cerrado Dourado, porque tenho uma amigas que contrataram e ficaram bem satisfeitas.
Na volta, mais 130km de estrada de terra até chegar em Lagoa do Tocantins e ver um asfalto.

Jalapão, paraíso sim! Brasil!!!”

Alagoas- Rota Ecológica de Milagres

Praia de Lage, em Porto das Pedras, na rora ecológica de Milagres

 

Olá viajantes... para curtir ainda mais o verão resolvi sair da toca e aproveitar outras praias .

Dessa vez fomos ao litoral norte de Alagoas, conhecido como o Caribe brasileiro.

Saímos sem destino fixo, com intuito de conhecer praias incríveis para mostrar para vocês. E lá vamos nós: sem reservas, sem datas programas e com muita vontade de aproveitar a melhor estação do ano. E escolhemos a Rota Ecológica de Milagres como direção.

 

Saindo de Aracaju, não resistimos e passamos pela linda orla de Maceió. Pegamos um pouquinho de trânsito mas tudo bem! Estamos sem pressa. Seguimos no sentido do Hibiscus Beach club, pela Rodovia Estadual Al 101 e logo depois da usina de Santo Antônio há um trevo que indica o início da famosa e sonhada Rota Ecológica de Milagres (distância de 365 Km). Logo verá um pórtico avisando o início da rota.

Até Camaragibe a pista é beeeem sinuosa e as curvas são fechadas. Apesar da ausência de acostamento, o asfalto está em boas condições.

A partir daí, a Rodovia passa no meio de diversos povoados bucólicos, onde os moradores ficam nas calçadas olhando o movimento (e seus celulares, claro!).

É preciso entender que a rota engloba não só São Miguel dos Milagres (Praias do Riacho, Porto da Rua, Toque e Milagres), mas Porto das Pedras (praias do Patacho, Tatuamunha e Lage) e Barra de Camaragibe (praia do Marceneiro). Para o turista, toda essa região é “Milagres”. O que importa essa distinção: a escolha da hospedagem e das paradas para curtir esse paraíso.

 

Recomendo uma primeira parada na Barra de Camaragibe, para descansar da viagem (cerca de 5h), com a bonita praia do Marceneiro: águas claras e pouca estrutura. Uma delícia.

Depois, praia do Riacho, Milagres, Toque e Porto da Rua (com hospedagens mais em conta).

Reserve ao menos 3 noites nessa região, para curtir com calma as praias. Na dúvida de hospedagem, melhor não quebrar a cabeça já que a distância entre a Praia do Marceneiro e Patacho (“de ponta a ponta”) é de apenas 18Km. Dá para curtir tuuuuudo se hospedando em um local só. Aliás, bem melhor assim.

 

Hospedagem: vou indicar três locais testados e aprovados por nós.

- Pousada Aldeia Bejupirá: pé na areia, na praia de Lage. Ambiente rústico mas muito charmoso, onde os hóspedes são mimados diariamente por seus funcionários de alto nível, florzinhas no quarto e ao final do dia, aromatização e climatização perfeitas. E o restaurante é um caso a parte. Perfeito! Aliás, o restaurante Bejupirá está presente também em Porto de Galinhas e Carneiros/PE e eu super recomendo. Diárias em torno de R$ 1.000,00 nessa época.

-Recanto Caiçara Pousada: no povoado Porto da Rua, mais ou menos 800 m da praia e 1,6Km da Praia do Toque. Ambiente familiar, com uma área verde bem gostosa, redário e piscina. Há chalés mobiliados e apartamentos. Quartos limpos e novos. A proprietária D. Gil faz de tudo para agradar o hóspede com sua simpatia e simplicidade. Ficaria novamente sem dúvidas. Diária de R$220,00 na alta estação.

 

- Casa mobiliada “Dos meus” (dos conterrâneos Guilherme e Natália): em Tatuamunha (Porto de Pedras), a apenas 30m da praia, essa casa de 6 quartos (4 suítes), toda mobiliada e novinha, com redário e uma piscina maravilhosa. A vantagem de ter funcionários a disposição dispostos a ajudar, além de espaços confortáveis numa região bem “nativa”. Diárias de R$ 1.500,00 (através do Booking).

Outras pessoas loucas por viagem me deram algumas sugestões de hospedagens aprovadas: Chalés do Porto (baratex), com ótimo estrutura em Porto das Pedras. Riacho dos Milagres (bem charmosa com super atendimento) e ainda a Pousada do Toque (muito conforto e serviço de excelência, custo alto). Opções não faltam.

Sugiro fazem como nós: procurar no Booking hospedagem em Milagres e depois clicar em mapas. Aparecerão várias opções pelo preço e você já vê a localização. Se puder, não abra mão de ficar na praia mesmo. Um luxo!

 

O que fazer: além de curtir as praias, perder-se no tempo e não sair das águas quentes da cor de esmeralda, passeios às piscinas naturais e comer muito bem!

 

Os passeios saem de todas as praias, e custam em média, R$ 50,00 por pessoa. Leve ou alugue snorkel pois o cenário fica ainda mais deslumbrante. Escolha os horários de maré baixa para curtir o mar ainda mais claro e calmo. Por aqui, os barcos são simples, de madeira e motor de rabeta, mas são seguros e navegam no ritmo do local (bem calmo).

 

 

Restaurantes: Os imperdíveis Amor (fiquei apaixonada) e o Bejupirá (ambos em Porto de Pedras), Patrícia Bistrô, Vintage Pizzaria e Peixada da Marinete (lagostim com acompanhamentos com preço justo). Aliás, achei os valores dos mariscos beeem altos por aqui. Fiquei até chocada com os das lagostas – entre R$ 200,00 e R$ 300,00… fiquei só na vontade. A justificativa dos restaurantes é que está da fase no defeso. Se for, ok!

Há hamburguerias, bares, lanchonetes e “bodegas” em todos os cantos. Na praia, ambulantes vendem churrasquinhos, queijinho assado, tainhas sem espinhas e bebidas.

Se quiser economizar, leve suas cadeiras e isopor para a curtir a praia em qualquer lugar e ficar “de boas” escutando o barulho do mar. Aquela brisa no final do dia é incrível.

Mas há Beach Club com superestrutura também. Bar pé na areia, com estacionamento, piscina, música ao vivo, banheiros, lounges, mesinhas e banho doce. Conhecemos o Milagres do Toque Beach Club e o acesso é R$30,00 por pessoa (depois conto em detalhes).

Também há o passeio na reserva do Peixe-boi, em Porto das Pedras (R$50,00) mas não posso avaliar. Muitos reclamam da falta de organização. Além disso, você encontra artesanato de palha, muita moda praia e as deliciosas cocadas da região.

Há até um pub (bar) em Porto da Rua, mas à noite só pensávamos em descansar para curtirmos o dia.

A quantidade de dias desfrutando essa linda rota vai depender da sua disponibilidade, vontade e do bolso. Mas não deixem de conhecer. Alagoas é tudo de bom.

 

Colômbia: San Andres I

 

Olá viajantes... eu tô apaixonada pela Colômbia, por sua cultura, mar e seu simpático povo. É bem verdade que em Cartagena são beeeem insistentes mas com bom humor isso não chega a ser um problemão.

Programe sua viagem à Colômbia incluindo San Andrés!!! Garanto que você não irá se arrepender.

Pesquisei os voos internos já que nosso aéreo chegava e saía por Cartagena, e encontrei voos baratos pela companhia aérea local-a low coast Viva Colômbia.
E não pense que viajará num teco-teco, porque são boings que fazem o percurso de 1:40 até o paraíso!!!

Pelo lado direito do avião a ilha parece uma miragem cercada com as cores mais incríveis de azul e verde que já vi na vida. Já valeu!

O aeroporto é bem pequeno e o percurso até o seu hotel, seja na orla ou no centro, certamente custará $15.000 (cerca de R$23,00 em setembro de 2018). Assim como em Cartagena, os carros são bem velhos, os motoristas sequer usam cinto de segurança e o trânsito é caótico.

Confesso que fiquei bem assustada quando cheguei com o abandono da ilha, muitas casas abandonadas, inclusive em locais privilegiados como em frente às praias paradisíacas.

O simpático dono da pousada que nos hospedamos (Casa de Lulu) nos falou que a região era toda dominada pelo narcotráfico e depois que o Governo conseguiu controlar a situação, apreendeu os imóveis mas não possui recursos financeiros para reforma e não vendem. Esperam deteriorar totalmente para vender o terreno. Aí lembramos imediatamente que estamos num país de terceiro mundo…

Mas voltemos às belezas…

Não perca tempo: assim que desembarcar na ilha corra para uma praia ou faça como todos os turistas por aqui: alugue um carrinho de golfe ($170.00, cerca de R$ 200,00, mas negocie por $150.000 com meia hora a mais) e vá dar uma volta na ilha para sentir esse lugar.

Já chegue negociando o preço do táxi e do carrinho. Eles reduzem o preço mesmo, basta insistir e ter paciência kkkk

Ah! Pegue emprestado um cooler no hotel, pare num supermercado e abasteça de bebidas para suportar o calor. Salgadinhos são bem vindos também.

Siga para o letreiro colorido da ilha porque você com certeza vai querer gritar: I love San Andres!

Escolhemos fazer o circuito em sentido horário (pois já era quase meio-dia) e fomos direto a West View. Caso comecem o circuito pela
manhã, siga no anti-horário para evitar o número concentrado de turistas (não esqueçam essa dica para não se frustrarem).

Uau! Uau! Uau!!!!

Largamos o carrinho no encostamento, deixamos o cooler na entrada e depois de pagar $5.000 por pessoa (R$8,00)-e recebe um pedacinho de pão para alimentar e atrair os peixes, entramos num bar bem simples com acesso a um trampolim e um toboágua que leva a uma piscina natural lindaaaaaaaaaaaaa.
Transparente é pouco para definir a água desse lugar.

Há guarda-volumes disponíveis e banheiros bem precários. Cadeiras e alguns locais com cobertura ajudam a proteger do sol, mas o incrível daqui é perder a hora mergulhando e tentando tirar as fotos mais lindas que puder.

Levamos nosso snorkel mas é possível alugar no local. Coletes estão disponíveis também. Os sapatos náuticos não são necessários já que não há praia, você já pula nessa piscina azul, aliás, nesse lindo aquário. Você escolhe chegar na água através do trampolim, tobogã ou simplesmente pela escadinha.

Há peixes de todas as cores e formatos. Tanto quanto as pessoas que estão mergulhando kkkk Mas o espaço é grande, a visibilidade também. Achei legal que fica um guarda-vidas dentro d’Água e auxilia aqueles que, como nós, empolgam-se demais e deixam cair os objetos no fundo do mar.

Há um restaurante no local mas não sei opinar já que seguimos adiante, mas com uma vontade de passar o resto da tarde por aqui...
Logo em seguida fica a outra atração: La Piscinita.

Mas como já tinha passado da hora do almoço, seguimos um pouco mais e paramos no Punta Sur. A vista é a maior atração desse local.

A comida é gostosinha, nada de mais, os pratos tem quase os mesmos preços- em torno de $40.000 (R$90,00) e são bem servidos e dá para dividir 2 pratos para 3 pessoas. A vista é beeeem bonita, tem uma ponta imitando um barco (rolou a foto by Titanic kkk), e uma piscina de água salgada é liberada para os fregueses que consumirem, assim como os banheiros.

Ao lado há uma cratera nas pedras que quando as ondas batem com força jorram água. Já dispense o Hoyo Suplador: achei um insulto pagar o mesmo valor dos outros locais para se arriscar nas pedras e ver as águas batendo nelas e subindo. Turistas sempre caem nessas armadilhas.

Mas pedi para olhar o local e não dei ousadia de ficar. Voltamos para La Piscinita e ver o tempo passar nesse outro aquário.

Na entrada($4.000), são entregues dois pedaços de pães de forma e os peixes de fartam kkk e nós também com tanta beleza.

O lugar é menor, e também com beeeeeem menos turistas.

Há também um restaurante, um pouco mais estruturado que em West View.

Terminamos o dia no calçadão onde fica a praia pública- Playa Spratt Bight, com vista para ilha Johnny Cay, mirando o outro dia nesse lugar maravilhoso.

Há aluguéis de cadeiras e guarda-sol e uma infinidade de bares e restaurantes ao longo do calçadão (principalmente na margem direita, sentido contrário do letreiro colorido).

Se houver fôlego, é para esse lugar que deve voltar a noite. Aliás, não recomendo hospedagem fora desse calçadão Peatonal, pois estará a um passo das atrações e de toda estrutura de bares e restaurantes.

Dia perfeito! A cereja do bolo...

Páginas

Subscribe to Loucas por Viagem RSS